segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Malévola



Dentre paixões mal sucedidas
E desejos não realizados
Enorme doce ilusão

O que esconde o olhar lascivo
Ha tanto tempo distante do meu
Como dentre tantos

Branca de neve linda e timida
De olhar terno e sereno
Que causa imenso furor

(9.6.14)

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

tropeços

Entre túneis inacabados de desilusões
A nostálgica angústia paralisante
Entre tropeços improdutivos
Ausência de coragem
Dentre recuo e desistência
Conforto em zona de conforto
Entrega à inércia e espera com ânsia e temperança
A hora certa do que virá...
A espera do momento fácil
que não retornará
A felicidade a requerer desafio
Respeito a quem está do lado
Do amor mal acabado
A comédia do coração partido
A tristeza do amor não correspondido
A esperança no sorriso fácil




quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Continuar

Nesse ano que se inicia quero continuar
Continuar a ver a Vida e as pessoas
com semblante de ternura
Um olhar solidário dispensa palavras
Que continuam a não ser ditas
Através dos sorrisos sinceros

Quero continuar a enxergar,
ainda com mais atenção,
As pessoas que me cercam
Quero compartilhar o grande amor
Que meu coração tem pra dar

Continuar a sorrir e a acreditar
Continuar a entender que as coisas só fazem sentido
Se você toca o coração de alguém
Continuar a “botar a água no feijão”

Continuar a acreditar que as coisas vão melhorar sim
Mas elas dependem que eu também faça a minha ação
Continuar a minha transformação interna
Que se externa na alegria do meu diário caminhar

O amor só tem graça para quem viveu, amou e sofreu
O poder da revolução vem de dentro de cada um de nós
de se sentir sensível à dor do próximo
Continuar a querer o querido Brasil
Para a brava gente brasileira