sexta-feira, 19 de abril de 2013

Porque me sorristes

Porque me sorristes
Já não durmo sem pensar-te
Já não penso sem querer-te
Já não quero esquecer-te

Porque me sorristes
E o nome não sei-te
Olhou me deslumbrante
Timida a fitar-te

Porque me sorristes
Tenho ainda esperança
De encontrar-te em andanças
Ansiosa por retribuir-te

Porque me sorristes
Já me cativastes
Boba inocente
Saudosa a reparar-te

A graça do teu riso triste
Somente porque me sorristes
Sem te ver sou Charles Chaplin triste






Nenhum comentário:

Postar um comentário

toda ouvidos