domingo, 25 de novembro de 2012

Olhos para quem vê


Pus minhas mãos na tua maciez e já não quis soltar
Meu olhar brilhante na tua direção diziam
o que minha boca, entre um gole e outro de cerveja
preferia calar

Entregue aos encantos do sotaque baiano
e ao jeito espontâneo de cativar
quem tem o prazer de contigo prosear

Me perder no despertar de um beijo teu


segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Gostar danado



Apaixonar-se na arte
Flertar sem querer
Querer sem poder
Ser sem saber entender
Querer de gostar danado
O inesperado, esperar
A sintonia do momento certo
No lugar errado
Um querer a mais
Um voltar a querer
o que se quis há um tempo atrás
Uma vontade guardada
Que nada destrói
Um amor se colocando pra fora
Um breve nada querer
E de nada saber
Com esperanças postas nas costas
Permanecer num lindo
sonho sem fim
Deixar-se envolver
Sem se importar
Com o que vai acontecer