quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

pedaços de escrita

Quero pôr os tempos, em sua mansa ordem, conforme esperas e sofrências. Mas as lembranças desobedecem, entre a vontade de serem nada e o gosto de me roubarem do presente. Acendo a estória, me apago a mim. No fim destes escritos, serei de novo uma sombra sem voz.

(Terra sonâmbula, Mia Couto)

Um comentário:

toda ouvidos