sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

acordo


Hoje tive um sonho,

tão parecido com tudo que eu vivo,

amigos, praia,shows,encontros,desencontros,tentativas...

E essa constante tentativa de ser feliz todos os dias,

E essa doce realidade de ser feliz e continuar a sonhar,

E alimentar os sonhos,

E essa doce esperança de encontrar,

De alcançar tudo que se deseja,

E essa doce certeza de estar tão próxima ao alcance de minhas mãos

A felicidade é um como e não um porque,

É uma maneira de caminhar e se encaminhar,

À mais atraente das direções,

Quem sabe de tanto sonhar acabo por esquecer,

E deixo estar, assim como está...

A felicidade a me flertar,

E a intensidade a me conduzir.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

guardado


Samenina tinha uma péssima mania: guardar.Guardava desde sorrisos como enquadrados num quadro e armazenava num dos arquivos da sua mente.Sua imensa biblioteca pessoal, além de papéis, caixas, bilhetinhos, pensamentos, melodias. E seu quarto se tornara aquele monte de caixas, com notas, pedrinhas, conchas. Ela tinha uma mania de refletir na praia, e sempre guardava uma pedrinha que simbolizava tudo que traçara para si mesma, e embaixo da cama tantas caixas e manuais de instrução, certa dificuldade de entendê-los mas todos ali, amontoados sob sua cama. Necessidade de se desfazer daquilo tudo como de se desfazer de seus pensamentos bobos que faziam dela Samenina menina distraída com um mundo da lua que ela criara e do qual não conseguia sair.Senti-se sempre tomada por essa mágica, vontade de descobrir os segredos guardado na caixa de pandora. Seu mundo se misturava sempre a cenas psicodélicas que ela via nos filmes que tanto gostava, via pessoas ao seu redor como estrelas num filme que alguém tivesse esquecido de escrever e guardara para daqui a muitos anos alguém poder ver e admitir: que historinha mais engraçada. Samenina ao menos sabia quantos anos tinha, guardara em alguma arquivo perdido de sua mente de cobrinhas coloridas psicodélicas esvoaçantes.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

explanation

Nobody has idea who is coming there
The future is already knocking on our door
Showing us the face of the new age
And the consequence of the past inconsequence
is falling on us
The nature gives us the answer
For all the mistakes the human
has commited against her
Like an angry child she screams in our ear
Like asking us to stop destroying it
We just need to understand we need her
to keep living our egoist lives.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Identidade

Preciso ser um outro
para ser eu mesmo

Sou grão de rocha
Sou o vento que a desgasta

Sou pólen sem insecto

Sou areia sustentando
o sexo das árvores

Existo onde me desconheço
aguardando pelo meu passado
ansiando a esperança do futuro

No mundo que combato morro
no mundo por que luto nasço

(Mia Couto, em "Raiz de Orvalho e Outros Poemas" )

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Around the sun


Foi invadida pela mágica visão
do arco íris ao redor do sol
Extasiada, pensava no amor
E o arco íris que já invadira o programa de tv
A fez refletir a respeito de amor
União, beleza, recomeço, força
Proteção, amizade, respeito
Nunca amara mas imaginava o tal sentir
Como uma sensação que se igualava aquele êxtase
Que ela sentia naquele momento
Olhando aquele imenso céu cheio de nuvens
Com o sol reinando protegido
Pelas variadas cores
Do imenso arco íris
Ao redor dos raios
Que pareciam colorir e enfeitar
Sua querida terra Natal.

sábado, 9 de janeiro de 2010

continuação


Para onde vão minhas palavras quando elas saem da minha boca
Derramam-se para tentar expressar o que está guardado no peito
Meu peito que pulsa e recebe o ar puro do meu paraíso público
Meus olhos já não brilham tão fácilmente
Estão cansados de só olhar, olhar, olhar
Já não procuro, mas encontro todos os dias
A Vida, exuberante a dançar pra mim
Convidando à nova dança
A dança dos nossos dias...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

pedaços de escrita

Quero pôr os tempos, em sua mansa ordem, conforme esperas e sofrências. Mas as lembranças desobedecem, entre a vontade de serem nada e o gosto de me roubarem do presente. Acendo a estória, me apago a mim. No fim destes escritos, serei de novo uma sombra sem voz.

(Terra sonâmbula, Mia Couto)

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Negação

Não és a flor olímpica e serena
Que eu vejo em sonhos na amplidão distante;
Não tens as formas ideais de Helena,
As formas da beleza triunfante;

Não és também a mística açucena,
A alva e pura Beatriz do Dante;
És a artista gentil, a flor morena
Cheia de aroma casto e penetrante.

Não sei que graça, que esplendor, que arpejo
Eu sinto dentro d'alma quando vejo
Teu corpo aéreo, matinal, franzino...

Faz-me lembrar as vívidas napeias,
E as formas vaporosas das sereias
Rendilhadas num bronze florentino.

(A. L. - Guerra Junqueiro)

sábado, 2 de janeiro de 2010

Good wishes


Em 2010 minha mente anseia por
Novas e belas melodias,sabores
Relações sintonizadas
Diferentes fragâncias e assuntos
Pontos-de-vista
Mudanças sempre que necessárias

Me esvazio para de novo me preencher
De novas fórmulas, teorias
Novos olhares, sorrisos, abraços
Novas gargalhadas
Esperanças, metas,pensamentos

Que o mar que me trouxe o novo ano
Com seu belíssimo pôr do sol
Me traga tudo que meu coração anseia
E que a dança e a alegria dessa manhã
Se multiplique por todos os dia do ano

Happy new year!

“Bendito quem inventou o belo troque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º de cada mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas recomeça”

(Mário Quintana)